Pular para o conteúdo

Dietas de inverno – Quais as melhores e como fazer

    O foco em emagrecer no verão é tanto que esquecemos que é no inverno que costumamos acumular os temidos quilos a mais.

    Não nos acostumamos a fazer dietas de inverno por uma sucessão de fatores que vão desde o frio que chama ao conforto sedentário embaixo de um cobertor à fome estimulada pelas baixas temperaturas.

    Parece que no frio é a época mais difícil de fazer dieta, porque é a época em que nos da mais fome e vontade de ir ao Starbucks Brasil e comer um chocolate quente.

    Mas porque temos mais fome no frio e vontade de comer mais? Como fazer dietas de inverno que sejam eficazes e possam ser mantidas e melhoradas no verão?

    Boa pergunta! A boa notícia, é que podemos usar o frio ao nosso favor e conseguir perder mais peso nessa época, já que gastamos mais calorias para nos manter aquecidos.

    Por que fazer dietas de inverno?

    dieta de inverno
    Dietas de inverno - Quais as melhores e como fazer 2

    Por mais incrível que possa parecer à primeira vista, o corpo tem uma tendência a gastar mais calorias no inverno. E nem é tão difícil de entender o porquê: para manter a temperatura corporal estável nos dias frios, nosso organismo gasta mais energia. Ou seja: nós gastamos calorias, e teoricamente deveríamos tender a emagrecer.

    O grande problema é que a fome também aumenta na mesma medida, e geralmente é a fome por gordura e por carboidratos simples.

    Junte a isso a tendência de ficar quieta em um canto, aquecendo-se, e eis o roteiro ideal para que a novela da engorda evolua.

    Manter dietas de inverno não é algo fácil, mas se você não quiser aumentar o manequim dos biquínis que você usou no verão será preciso vencer a terrível barreira gélida entre você e o emagrecimento saudável.

    Como fazer dietas de inverno?

    • Aposte nas sopas de legumes. Leves, saborosas e quentes, saciam a fome sem acrescentar calorias excessivas ao cardápio para perder barriga.
    • Falando em sabor e calor, use e abuse dos chás, principalmente os que possuam ingredientes termogênicos (se você se esqueceu o que é isso, leia, ou releia “Alimentos termogênicos – queimam calorias com sabor”). Chá branco, verde, de canela ou gengibre, entre outros, são excelentes catalisadores da termogênese.
    • Por maior que seja a tentação em ficar em um local quentinho e em repouso seja enorme, não abandone sua rotina de exercícios. Adapte-a aos tempos mais frios, seja usando confortáveis moletons nas caminhadas, seja usando as abandonas esteiras e bicicletas ergométricas. Não pare só porque um ventinho gelado quer deixar você grudada em uma cama quentinha!
    • Não sucumba às tentações presentes no inverno. Quentão nas festas juninas, o fondue herdado da Europa e bebidas alcoólicas mais fortes são bombas calóricas. Mesmo o inocente chocolate quente com creme é indecentemente pesado. Substitua essa delícia (não sou santa, já sucumbi a muitas xícaras fumegantes de chocolate quente!) por uma agradável mistura de leite desnatado com café sem açúcar e canela.
    • E algo importante que muitos esquecem: não abandone a água. Por mais que a sede finja não aparecer durante os dias mais frios, isso não significa que seu corpo e sua dieta não precise dela. Muito pelo contrário; no inverno os dias costumam ser mais secos. Lembre-se que o consumo de água evita a retenção indesejada de líquidos.

    Até a próxima!